megafone-manchete

Bancários convocam plenária para discutir PAQ do BB, que prevê remoções, fechamento de unidades e outros ataques

Delegados sindicais das PSO (Plataformas de Suporte Operacional) do Rio de Janeiro assinam nota a respeito do PAQ (Programa de Adequação de Quadros) que o BB lançou na semana passada,  e chamam colegas para plenária no sindicato nesta quarta-feira (10), às 18h30, no RJ.

Confira o chamado abaixo:

*Mensagem aos colegas do PSO*

Compareçam a plenária no sindicato
(Av. Pres Vargas, 502, 21o andar) nesta quarta-feira (10/01)

O BB lançou na semana passada um Programa de Adequação de Quadros (PAQ) que prevê remoções, fechamento de unidades inteiras, reduções de dotação e ainda inclui Planos de Aposentadoria e Demissão. A função de Caixa é uma das mais atingidas. Serão extintas mais de 50 vagas de Caixa apenas no município do Rio de Janeiro. E ao contrário do que diz o Banco, esse não é um programa voltado a redistribuir os funcionários para melhorar o atendimento após o caos provocado com a reestruturação do ano passado, quando 402 agencias foram fechadas em todo o país. Já seria absurdo tentar resolver com transferências compulsórias, que podem ocorrer até mesmo para outro estado, um problema que foi causado pelo próprio Banco. Mas o real objetivo do PAQ é reduzir ainda mais o quadro de funcionários, cortando vagas e funções.

Uma das “oportunidades” oferecidas aos Caixas que perderem suas funções seria concorrer a vagas nos escritórios digitais. Mas em que condições, Caixas, um setor operacional, iriam concorrer com os colegas que também estão perdendo suas vagas e já trabalham no negocial? Sem falar nas péssimas condições de trabalho dos escritórios digitais, onde há relatos de muito assédio moral e adoecimento ainda mais acelerado dos funcionários por conta da pressão por metas.

E para os Caixas que restarem, a sobrecarga de trabalho, que já tem provocado um grande número de afastamento por licença saúde, será ainda pior. Em agências lotadas e sem as mínimas condições para atendimento e segurança, que já são a nossa rotina.

Onde o Banco enxerga que existam 50 caixas excedentes?

A população já esta sendo expulsa de dentro das agências, seja pela falta pelas filas imensas por conta da falta de funcionários para atender, seja pela cada vez maior limitação das operações que podem ser realizadas nos guichês. O objetivo do Banco é acabar com os Caixas Executivos, forçando a utilização dos canais de auto-atendimento.

Não vamos aceitar passivamente sermos dizimados por um BB que só enxerga números e matrículas. Precisamos de uma reação coletiva a esse conjunto de absurdos. As saídas individuais, estimuladas pelo salve-se quem puder que o Banco está tentando instaurar, irão nos enfraquecer e nos expor ainda mais a novos ataques.

Tod@s a plenária!

Assinam @s delegad@s sindicais das PSOs do Rio de Janeiro:

Adriana Ferreira
Mariana Menezes
Rafael Peres
Rodrigo da Silva
Pedro Braga
Thelma Santos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *